BEM-ESTAR

Coração do brasileiro pede socorro

Você conhece os “números” do seu coração?

Doenças cardiovasculares matam uma pessoa a cada 40 segundos; campanha alerta para importância de sabermos nossas taxas de colesterol e valores da pressão arterial
coração
Crédito: Freepik

Com apenas 12 cm de comprimento e cerca de 300 g (na mulher, pesa um pouco menos, em torno de 250 g) de peso, o coração pode parecer muito forte. Ele consegue, em apenas um minuto, bater 70 vezes e bombear até 6 litros de sangue. A comparação – um punho fechado – também nos remete à força. Mas esse órgão está se mostrando fraco diante de uma importante luta. Que depende de você, de mim, de cada um de nós.

No ano passado, as doenças cardiovasculares mataram uma pessoa a cada 40 segundos no país. Entre 2004 e 2014, foram quase 3,5 milhões de mortes no Brasil.  Apenas neste ano, atê este mês, cerca de 260 mil brasileiros já morreram em consequência de problemas do coração, segundo o Cardiômetro, da Sociedade Brasileira de Cardiologia. “É o que mais mata os brasileiros”, lamenta a médica cardiologista Marildes Luiza de Castro,  coordenadora do curso de pós-graduação de Cardiologia da Faculdade Ipemed de Ciências Médicas, em Belo Horizonte. Em cada três mortes no Brasil, uma é causada pelas doenças cardiovasculares.

Os anos passam, e os números não melhoram. “As perspectivas ainda não são boas”, avalia Marildes. “Os maus hábitos de vida ainda estão muito arraigados na população, além do desconhecimento das doenças cardiovasculares. O hipertenso muitas vezes não sabe que é hipertenso. E muitos deles não se preocupam em se tratar por não terem sintomas.  Enquanto isso, silenciosamente, são lesados coração, cérebro, rins…”, explica.

Os números que você precisa conhecer

Nos dois últimos minutos,  três brasileiros morreram devido a problemas cardiovasculares.  O que cada um de nós pode fazer para não ser incluído nas estatísticas? “Começar conhecendo seus números: quanto é sua pressão arterial,  seu colesterol, sua glicose, seu peso. E se eles estão adequados”, recomenda a cardiologista. Esse é o mote da campanha da Sociedade Brasileira de Cardiologia para o Dia Mundial do Coração, comemorado neste 29 de setembro.

A cardiologista orienta ainda combinar uma alimentação equilibrada à prática regular de atividades físicas. E preocupar-se mais quando há algum fator de risco. Principalmente, se existem fatores de risco associados, como, por exemplo, hipertensão e colesterol alto.

Faça a sua parte:
  1. Mantenha o peso adequado e pratique exercícios físicos.
  2. Encare a vida com bom humor. Isso evita o estresse.
  3. Tenha uma alimentação rica em cereais integrais, vegetais e frutas.
  4. Evite bebidas alcoólicas e cigarro.
  5. Conheça os seis “números” do seu coração: pressão arterial, colesterol, glicose,  triglicérides, peso e cintura.
Fontes: Médica cardiologista Marildes Luiza de Castro. Formada pela Faculdade de Medicina da UFMG em 1980. Professora e coordenadora do curso de pós-graduação de cardiologia da Faculdade Ipemed de Ciências Médicas, em Belo Horizonte, e Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Confira os valores de referência:

COLESTEROL

Níveis desejáveis (mg/dL)

Total – < 200
LDL – < 100
HDL  – Homens > 40  e Mulheres > 50

TRIGLICÉRIDES

Níveis desejáveis (mg/dL) – < 150

GLICEMIA EM JEJUM

Níveis desejáveis (mg/dL) – ≤ 100

PRESSÃO ARTERIAL

Valores adequados (mmHg) – 120 x 80 (12 por 8)

CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL

Valores adequados (cm ) – Homens = 90 e Mulheres = 80

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia
Calcule o seu risco cardíaco

Hoje

Para daqui a dez anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *