BEM-ESTAR

Coágulos: veja o que é importante saber

Saiba mais sobre a formação de coágulos e suas complicações

Neurologista alerta que manter uma rotina saudável é essencial para a prevenção
coágulos
Crédito: Freepik

Todos nós temos uma proteína no sangue que forma uma rede responsável por estancar um sangramento ou uma lesão. Essa “rede” é o primeiro passo para reconstituir o tecido lesado. Funciona como a ferida de um joelho ralado, por exemplo.

“Quando há uma predisposição genética ou fatores de riscos externos, essas proteínas se ativam de forma desregulada, formando conglomerados dentro dos vasos sanguíneos chamados de coágulos”, explica o médico neurologista Mauricio Hoshino, da Divisão de Clínica Neurológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Continuar lendo “Coágulos: veja o que é importante saber”

BEM-ESTAR

Diferenças entre gripe e resfriado: veja algumas dicas

Você está com gripe ou resfriado?

Médico infectologista explica que pode ser difícil distinguir as duas doenças e dá algumas dicas sobre os sintomas mais comuns
diferenças entre gripe e resfriado
Crédito: Freepik

O inverno pode trazer muitos espirros, coriza e um certo mal-estar. Crianças, idosos e alérgicos sofrem mais. Nós, brasileiros, tratamos tudo como gripe. Mas, muitas vezes, esses sintomas representam apenas um resfriado. O médico infectologista Antonio Carlos de Castro Toledo Júnior, professor do curso de medicina da Unifenas-BH, diz que é muito difícil distinguir um do outro. Que tal tentar entender as diferenças entre gripe e resfriado e aprender a fazer a prevenção de forma correta? Continuar lendo “Diferenças entre gripe e resfriado: veja algumas dicas”

BEM-ESTAR

Câncer de cabeça e pescoço: a importância da prevenção

Você tem uma ferida na boca que não cicatriza?

Atenção: dificuldades para engolir ou mover a língua também são alerta para o câncer de cabeça e pescoço
câncer de cabeça e pescoço
Crédito: Freepik

O Brasil teve mais de 110 casos de câncer de cabeça e pescoço por dia no ano passado, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca). O órgão calcula 41 mil novos casos em 2016. São estimadas cerca de 10 mil mortes por ano no Brasil. E os pacientes que sobrevivem têm uma perda significativa da qualidade de vida durante e após o tratamento. Um dos principais problemas, segundo a Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) Brasil,  é o diagnóstico tardio, que ocorre em 60% dos casos. Continuar lendo “Câncer de cabeça e pescoço: a importância da prevenção”