BEM-ESTAR

Você sabe como está o seu colesterol hoje?

Sete em cada dez brasileiros desconhecem sua taxa de colesterol

Estima-se que 35% da população tenha níveis fora dos padrões normais e sob risco
colesterol
Crédito: Freepik

Você sabe qual é a sua taxa de colesterol? Pesquisa da Sociedade Brasileira de Cardiologia mostra que quase 7 em cada 10 brasileiros não conhecem sua taxa de colesterol. Nove em cada dez entrevistados sabem que precisam fazer exame para medir a taxa. Mas quatro deles não se preocupam com isso.

O colesterol pode ser considerado um tipo de lipídio (gordura) produzido em nosso organismo. Também está presente em alimentos de origem animal (carne, leite integral, ovos etc). No corpo humano, desempenha funções essenciais, como a produção de hormônios e de vitamina D, entre outras. No entanto, o seu excesso no sangue (hipercolesterolemia) é prejudicial porque contribui para o entupimento das artérias.

O colesterol presente no nosso sangue tem três frações. Duas merecem mais nossa atenção: o LDL, que é conhecido como “ruim”, porque pode entupir vasos e artérias. E o HDL, que é conhecido como “bom”, porque contribui para a redução da placa de gordura.

O ideal é que o LDL fique abaixo de 100 miligramas na população geral. Pode ser controlado com dieta e uso de medicação. Já o HDL deve estar acima de 45 miligramas e pode ser aumentado com a prática de atividade física.

Por que é preciso saber a sua taxa de colesterol? Primeiro, porque, segundo o cardiologista Marcelo Sampaio, do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, em São Paulo, quando ele está alto, é um fator consistente de risco para doenças cardiovasculares, como o infarto, e neurológicas, como o acidente vascular cerebral, o AVC.

Segundo: estima-se que 35% da população tenha valores fora dos padrões normais e sob risco, alerta o cardiologista. Converse com o seu médico e veja se já não é o momento de fazer o exame de sangue para avaliar suas taxas de colesterol.

Mito e verdade

Pessoas obesas sempre terão colesterol alto?

NÃO. Pelo contrário. Somente 30% do colesterol vem pela dieta. Temos pessoas magras com níveis elevados.

Se a origem da hipercolesterolemia for genética, não adianta ter hábitos saudáveis.

NÃO. Adianta sim. Se você tem um ambiente favorável para elevar a taxa, o genético vai se expressar. É preciso manter o ambiente desfavorável. É uma interação entre a genética e a doença. Só a carga genética não vai dar certeza. Apesar da redução pequena, todo mundo tem que fazer dieta de gorduras de origem animal.

Manter o colesterol bom alto compensa o colesterol ruim alto.

NÃO. É preciso ter os dois nos níveis adequados para ficar protegido.

Fonte: Cardiologista Marcelo Sampaio, do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, em São Paulo.
Seu coração está em dia?
Confira os valores de referência:

COLESTEROL

Níveis desejáveis (mg/dL)

Total – < 200
LDL – < 100
HDL  – Homens > 40  e Mulheres > 50

TRIGLICÉRIDES

Níveis desejáveis (mg/dL) – < 150

GLICEMIA EM JEJUM

Níveis desejáveis (mg/dL) – ≤ 100

PRESSÃO ARTERIAL

Valores adequados (mmHg) – 120 x 80 (12 por 8)

CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL

Valores adequados (cm ) – Homens = 90 e Mulheres = 80

Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia

Faça o teste

Confira o seu risco coronariano

Leia mais

Fim do jejum no exame de colesterol pode ser para poucos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *